27 de abril de 2008

My Birthday!!!

Hoje foi meu aniversário!!! Dia tranquilo, almoço na casa da sogra (eu que fiz - macarronada), joguinho do Mengão, bate papo com a família... O dia todinho com meu noivinho. Meu último aniversário solteira. Completei 27 aninhos. Sempre pensei em casar com essa idade, no máximo 28. Acho que meus planos estão indo bem...

O que hoje teve de tranquilo, ontem teve de agitado. Acordamos já super cedo pra receber o Léo. Ele monta e desmonta meus móveis, encaixa as coisas onde eu quero, reaproveita aqui e ali, enfim, nosso faz-tudo. Conseguimos finalizar a escrivaninha no escritório: ficou perfeita!!! Parece que foi sob medida praquele espaço. Depois ele colocou o armário dispensa atrás da porta e ficou lindo porque tá disfarçado e nem dá pra ver que tem um armário ali. Minhas idéias até que são boas, sabe... Pra finalizar, uma idéia ótima do Bernardo, que foi pegar a caixa spot que minha mãe não quis no banheiro e adaptar pro alto de nossa cozinha americana. Também deu certinho. Tá tudo muito lindinho mesmo.
Logo depois chegou nosso primeiro presente: a GELADEIRA!!! Gente, ela é tuuuuuddoooooo. Deu certinho no espaço que eu tinha, combinou com tudo, era exatamente do jeitinho que eu queria. Um THANKS A MILLION pro tio Carlos e pra tia Concita, nossos padrinhos, que permitiram que nossos dias pintando a casa agora sejam regados a muita água gelada. Adoramos muito o presente.

Depois disso fomos ao nosso segundo encontro com o Reverendo Eduardo. Sempre simpático e atencioso, o Gremista bateu muito papo com a gente, contou histórias, ouviu o que a gente tinha pra falar (eu mais que o Bê) e ainda nos passou dever de casa - hahaha. Ele nos deu sugestões de leitura e filmes que seria legal a gente assistir.
Livros: "Sob a sombra de Saturno" e "Mulheres que correm com os lobos"
Filmes: "Don Juan de Marco", "Corações Apaixonados" e "Terapia de Prazer"
Mais uma vez adoramos nosso encontro e saímos de lá muito felizes em saber que nossa cerimônia está em boas mãos.

De noite fomos para o restaurante Bossa Nossa, perto do Autódromo, pra comemorar meu niver. Tava geral lá: mommys com o boyfriend, galera da Cultura, cunhadinha e husband (além do baby na barriga dela), family da Gorete. Aproveitamos pra finalmente convidar nosso padrinho Cláudio que vai fazer par com minha best friend, soul sister, Taís. Ele ficou muito emocionado e adorou o convite. Ficamos muito felizes.

Foi isso. De dicas hoje ficam as sugestões de nosso Reverendo. Espero que vocês também façam bom proveito.

19 de abril de 2008

Decidimos casar...

Hoje minha avó almoçou lá em casa. Quem conhece a figura sabe que ela é inesquecível e marcante. Esse meu jeito tagarela de ser puxei dela. Minha avó já entrou lá em casa hoje falando. E ela sempre fala sobre tudo. TUDO mesmo. Para uma velhinha que nasceu em 1918 e se casou aos 30 anos com festa e padre na casa dela, falar sobre tudo do jeito que ela faz chega a ser chocante. Eu já tô acostumada, afinal foi ela quem me criou até os 18 anos. Conversávamos sobre novelas, política, história, guerras, receitas, sexo, brigas, amor, amizade, família, geografia, enfim, qualquer coisa.

Minha avó conheceu o Bernardo antes de a gente namorar. Quando tudo era nada mais que um flerte. Achou ele lindo. Porém, onde eu quero chegar é na pergunta que um dia ela nos fez na casa dela, assim, do nada, à queima roupa. Estávamos lá, eu, Bê e minha mãe, quando vovis simplesmente me sai com essa: "Pra que casar, meu filho? Hoje em dia não tem mais essa bobagem de honra. Junta as coisas de vocês e vão morar numa casinha e ser feliz." Vindo de uma senhorinha de quase 90 anos, foi uma surpresa pra ele.
No entanto, devo admitir que minha avó me deixou com a pulga atrás da orelha. Afinal, de fato, por que as pessoas ainda se casam? O que leva um casal moderno a se casar?
No meu caso nunca fora um grande sonho nem nada, mas sempre achei a idéia de juntar meus trapinhos e ir morar com alguém no mínimo desconfortável. Um dia você vai para passar a noite, no outro o fim de semana, um feriado prolongado, quando percebe tem mais roupas suas lá do que no seu próprio armário. E quando não é assim e o casal se muda junto pra um apto em comum, acho pura hipocrisia não oficializar o casamento. Minha opinião. Talvez eu seja um tanto quanto conservadora. Só que nem eu nem o Bê queríamos isso. Mesmo que fosse apenas uma visitnha rápida no cartório, mas eu ia botar um aliança no dedo e o nome dele no meu.

Portanto, pra gente, o casamento foi mesmo uma consequência de um longo relacionamento que, após altos e baixos, comes and goes, se tornou forte o suficiente pra querer continuar pra sempre. Não sei dizer o dia exatamente que resolvemos casar. A família dele meio que cobrava um pouco e, ao completar 25 anos, eu comecei a falar no assunto mais a sério. Ele nunca me deu certeza de que era o que ele queria. Eu falava: "quando a gente casar" e ele respondia: "se a gente casar".
Foi difícil. No fim daquele ano, em Novembro, compramos o nosso carritcho juntos e senti que fora um passo adiante. No mesmo mês a irmã dele casou e eu peguei o buquê. Todos caíram em cima dele, óbvio. Eu continuei com o mesmo papo, nem mais, nem menos. Em Dezembro, durante as compras de Natal, ele me perguntou se eu não tinha nada pra comprar na Vivara. Entendi no ato e respondi que sim. Pra complicar a mulher nos atendeu super mal. Mas ele já tava resolvido e me levou então na HStern. Foi um dos dias mais felizes da minha vida. Saímos de lá com as alianças já gravadas na caixinha.
Acho então que aquele foi o dia marcante do resolvemos casar, embora, é claro que já vínhamos pensando no assunto há algum tempo. Decidimos casar porque pra nós o mais importante na vida é a família e envelhecer sozinho não ia nos fazer felizes. Decidimos casar porque sabemos que podemos confiar um no outro pra tudo, porque somos cúmplices, aliados, amigos e acima de tudo companheiros, em viagens, em passeios no shopping, nas horinhas no cinema, nos dias com febre, nos momentos de dor, na nossa caminha, nas gargalhadas, nas lágrimas, no dia a dia, todos os dias, na vida.

Decidimos casar não só porque nos amamos muito, afinal só amor não basta. Decidimos casar simplesmente porque se tornou muito difícil fazer planos que não fossem em conjunto.

E vocês? Por que decidiram casar?

17 de abril de 2008

FALTAM 6 MESES!

Mas como assim? Não faz muito tempo eu comecei esse bloguinho meio tímido, aos pouquinhos, quase nada resolvido. Foi bem outro dia que resolvi casar esse ano. Tá passando muuuuuiiito rápido.

Por um lado é bom, por outro nem tanto.

Não há nada mais efêmero que ser noiva. Na verdade, ESTAR noiva. Esta é uma condição com dia e hora pra acabar. Afinal, embora pareça óbvio, toda noiva QUER casar. E nesse dia ela passa a ser esposa e todo o encantamento de princesa acaba quando a festa chega ao fim.

Não tô falando do casamento que estar por começar. Tô falando do final de um ciclo da vida. Um ciclo que não foi feito pra durar. Estar noiva tem sido a melhor coisa da minha vida. Estou muito mais feliz, mais bonita, mais tranquila, mais madura, mais tudo. É um tempo de expectativa, ansiedade, um tempo em que sonhar é mais que permitido, um tempo em que tudo é liberado, afinal você ESTÁ noiva. E essa condição não vai durar muito. E vamos sentir falta.

Esse frio na barriga, essa alegria ao receber presentes, ao escolher a cor de uma parede, o brilho no olhar quando se encontram, o amor que parece estar maior, essa felicidade que a noiva irradia é contagiante. Estão todos sempre sorrindo pra você e parece que o mundo de repente é cor de rosa.

Sou contra noivas que enlouquecem e ficam neuróticas. Acho que todos têm problemas, todos enfrentam percalços e tem que ultrapassar obstáculos. Mais que um sonho, o casamento é uma conquista, onde se abre mão de muito em prol de um sucesso a dois. Pra mim, por mais que o mundo às vezes pareça conspirar contra, nada vai ser capaz de tirar meu bom-humor e o sorriso dos meus lábios.

Só tenho mais 6 meses pra curtir tudo isso. Estou noiva até 17 de outubro e vou aproveitar cada segundo, pois nunca mais terei essa chance.

Depois disso, é fazer meu casamento ser pra sempre...

15 de abril de 2008

Neurose?

Será que vou ficar neurótica? Amanhã é dia 17 de abril. Amanhã faltam 10 dias pro meu aniversário, meu último aniversário solteira. Amanhã faltam 6 meses pro meu casamento. Será que vou pirar e começar a dar xiliquinho?

Bom, nesse fim de semana pareceu que a crise do "meu-casamento-está-chegando" tinha me pegado. Tive uma briga feia com mommy. Na verdade não foi nada de mais, até já fizemos as pazes. O problema é que minha mãe às vezes parece que quer fazer um cassamento pra ela. Eu entendo tudo, mas de vez em quando perco a paciência. Será por causa dela ou porque o grande dia tá chegando? Butterflies come and go, staying for longer I must say.

O evento Noivíssima no Casa Shopping não foi lá essas coisas. Gostei de conhecer uma empresa: Struture, que faz uma porção de coisinhas e me pareceu legal, com preços bem bacanas. Vou visitá-los em breve pra ver lembrancinhas, convites, RSVP e noivinhos. Também experimentei uma grinalda que amei e vi um penteado perfeito.
A reforma da casinha vai de vento em popa. Decidimos as cores dos quartos: o nosso vai ser branco e cereja, e o do closet vai ser branco e azul petróleo. Já compramos algumas tintas e tudo. Lixamos e já começamos as paredes brancas e os tetos. Tá lindo. Só não chegamos num acordo quanto à sala. Cada hora pensamos numa cor diferente, mas ainda temos bastante tempo...

Em mês de aniversário é claro que vou ganhar presentinhos. Eu não, mas minha casa vai. Minha sogrinha já me deu um conjunto maravilhoso de panelas. Fiquei muito feliz. E hoje cunhadinha ligou dizendo que comprou um edredon lindo pra minha camona (queen size ;) ). Tudo que eu precisava muuuuito, afinal só tinha unzinho, né.

Às vezes me pego no meu apto olhando pra paredes e pensando que ainda não é real. Falta tanta coisa, parece que não vai acontecer, sei lá. Será neurose? Talvez, mas me sinto calma. Talvez um pouco ansiosa, mas acho que é por causa dessas borboletas batendo asinhas na minha barriga...

Bom, essa semana devo ter mais novidades.
Hoje fica a dica da Struture, que me cativou, mas ainda vou lá conferir.

10 de abril de 2008

Esse blog é bom :):):)

Gente, pára tudo!!! Tô ficando famosa e importante nesse mundo virtual.

A Natália, talentosa escrevente do blog Koala Bala, me deu a honra de indicar meu humilde bloguinho para ganhar este selo!!! Tô me sentindo uma Oscar nominee.
E já que agora sou importante, tenho o direito de fazer as minhas indicações (chique, né?). Bom, então aí vão meus 7 indicados:

Uma noivinha carioca, alegre, que acaba de voltar pro Rio, após ter planejado quase todo seu casamento diretamente de Angola. Carol está se preparando pra entrar no ramo profissionalmente. Boa sorte!
Fernanda é uma noivinha paulista, nem tão neurótica quanto ela acredita, sempre cheia de novidades e assuntos super legais que permeiam a mente neurótica das noivas.
Mais uma noiva carioca, Gabi escreve super bem e sabe trazer tópicos inteligentes e interessantes, provando que noivas não são nada, nada fúteis.
Manu é outra noiva carioca, a exatamente 1 mês do casamento, finalizando os preparativos e ligeiramente estressada.
Pâmella conheceu o Danillo na internet, mais do que normal que ela tivesse um blog sobre o casamento, né? E natural que esse blog fosse muito legal e divertido de ler.
Foi sensacinal acompanhar a construção do sonho deste casal nestes meses. Rosinha casou e continua postando, sempre com dicas super valiosas e pertinentes. Parabéns!!! Pelo casório e pelo blog lindo.
Uma idéia fantástica e muito bem elaborada. Como professora de inglês e, acima de tudo, amante da língua, adoro os posts. Merece muito o selo!

Como toda brincadeira é coisa séria, vale lembrar as normas que devemos seguir: a) esse prêmio devemos atribuir aos blogs que gostamos e os quais visitamos regularmente e postamos comentários!; b) ao receber o selo “é um blog bom sim senhora!!” devemos escrever um post incluindo: o nome de quem nos deu o prêmio com o respectivo link de acesso + a tag do prêmio + a indicação de outros 7 blogs; c) a tag do prêmio deve ser exibida no blog!

Agradeço novamente a indicação do bloguinho!

5 de abril de 2008

Renovando...

Percebi que iamos casar mesmo quando comecamos a procurar apartamento. Visitamos inumeros stands, nos encantamos com os modelos decorados e fizemos contas interminaveis pra ver em quanto tempo a gente conseguia juntar o suficiente. Pra mim estava tudo certo: dariamos entrada num imovel na planta e nos fins de 2009, quando as chaves fossem entregues, iriamos casar.

Mas nem tudo sai como a gente planeja. E o mais legal e que no nosso caso tudo mudou pra muuuiiito melhor. Mommy emprestou o apto antigo (onde a gente morava) e antecipamos nosso casorio. Devo confessar que no inicio, por puro capricho, me sentia um pouco mal, afinal nao estaria casando e indo pra minha casa, estaria voltando pro lugar onde morei nos ultimos 10 anos. Parecia que faltava alguma coisa. Mas concordei, ne?

Qual nao foi minha surpresa ao perceber que aos poucos vou sentindo aquele apto muito mais nossa casinha do que jamais fora. Talvez por estarmos fazendo a obra nos mesmos ou por ja termos mudado tantas coisas (mesmo que apenas na imaginacao), mas aquele pedacinho de mundo agora ta com a nossa cara.

To falando tudo isso porque hoje foi um dia especial nesse processo. A casa ta vazia, minha mae ja levou tudo dela, deixando apenas os armarios da cozinha e do banheiro. No entanto, os guarda-roupas ainda estavam no lugar. Eu sempre odiei o meu (pequeno, feio, nada pratico) e sonhava em me livrar daquilo. Hoje isso aconteceu. Pegamos nossas ferramentas e em menos de 1 hora o armario estava desmontado e no lugar um espaco vazio.
Me senti deixando toda a solteirice, a adolescencia, enfim, o meu quarto, pra tras. Agora aquele apto pode ser nosso mesmo, nossa casinha, nosso cantinho, nosso pedacinho de mundo, nosso castelo. Parece bobeira, mas me livrar do armario me deu um alivio, tirou um peso, me deu mais energia pra encarar essa vida nova que estamos construindo.